Fundação Cultural Cassiano Ricardo

FUNDAÇÃO CULTURAL
CASSIANO RICARDO

www.FCCR.org.br

Developed in conjunction with Ext-Joom.com

 

O que é

Criado em 1997, a missão do Museu do Folclore é desenvolver ações de salvaguarda, divulgação, formação e informação, que levem à valorização do folclore na região de São José dos Campos, Vale do Paraíba e Litoral Norte, contribuindo para o fortalecimento da identidade cultural e formação da cidadania. Atualmente, o museu é administrado em parceria com o Centro de Estudos da Cultura Popular (CECP).

 

Objetivos do Museu

Apoiar, estimular e revitalizar ações de grupos portadores de folclore, visando a salvaguarda das manifestações folclóricas regionais;

Adquirir, preservar e divulgar um acervo  de testemunhos e referências materiais que documentem as festas cívicas e religiosas, a arte, os saberes e fazeres  que constituem a cultura popular regional;

Estimular a produção e difusão de conhecimento científico, promovendo simpósios, cursos, seminários, encontros e pesquisa de campo;

Divulgar as pesquisas realizadas por folcloristas através da edição do Caderno de Folclore e de Exposições.

 

Informações

Horário de Atendimento: terça a sexta-feira, das 9h às 12h e 14h às 17h, sábados e domingos, das 14h às 17h.

Endereço: Parque da Cidade Roberto Burle Marx - Av. Olivo Gomes, 100 - Santana - São José dos Campos - SP - CEP: 12.211-115

Tel.: (12) 3924-7318/ 7354. 

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Ações do Museu

Série Cadernos de Folclore

Programa de Ação Educativa

Dialogando com o Folclore

Programa Museu Vivo

Exposições


Exposição de Longa Duração

A Exposição “Patrimônio Imaterial: Folclore e Identidade Regional” atrai a atenção para o Folclore Regional de São José dos Campos, apresentando uma vivência de cultura, de tradições, de patrimônio e uma vivência de cidadania. Ela procura sensibilizar o visitante sobre as diferenças quanto aos modos de viver, de comunicar fé, festa, técnica, escolhas estéticas, comida, música, dança. A exposição é dividida em sete salas:  

 

Sala São José dos Campos

A Sala São José dos Campos é um espaço de acolhimento. Abre o circuito, mostrando um painel com um pouco da história do ciclo do café, das manifestações culturais, principalmente religiosas, do Vale do Paraíba. 

  

Sala das Tecnologias

Simbolizar é a grande ação do homem perante a natureza. Assim, interpretar matérias-primas - barro, madeira, fibras ou reciclar papel, plástico e metal - são revelações de conhecimentos tecnológicos acumulados. É a geração dos ofícios, dos trabalhos organizados no campo, na pesca, no desenvolvimento de habilidades, transmitindo e experimentando formas, texturas, cores e principalmente dando uso e função aos objetos, os quais assumem o testemunho da cultura.


Sala da Religiosidade

Crer, ter fé, expressar e viver a fé enquanto revelação da ancestralidade, do mito, da divindade une o homem aos sentimentos de pertencer a um grupo, a uma sociedade, de ocupar um lugar, de ter um papel cultural na interpretação entre a vida e a morte. 

 

Sala Santos de Fé

Um dos grandes temas que fazem o Folclore é a capacidade de representação religiosa. O Vale do Paraíba, lugar socialmente constituído pela mão e pela civilização de povos africanos durante o ciclo do café, permanece celebrando os santos negros. Todos têm seu significado. Todos são tema e função de fé.

 

Sala de Festas

A festa é a culminância da vida, do trabalho, das relações sociais, celebra e comunica à pessoa, sua história, sua tradição, seu desejo de louvar, cultuar, brincar, manifestar pertencimento a uma cultura, a um povo. Divino Espírito Santo e Santos Reis são celebrações marcantes do Vale do Paraíba: é quando os festeiros/ foliões vivem, anualmente, as renovadas formas de festejar, com fé, as uniões entre o sagrado e o cotidiano. 

 

Sala Identidades

Ter uma identidade vai muito além do que ter uma carteira, um documento. Ter identidade é ter a cultura que você vive e transmite. É o que marca a sua verdadeira individualidade e a sua diferença.

 

Sala Brasil

A Sala Brasil tem a vocação de receber o visitante ou de finalizar o circuito da exposição. Ela é organizada por uma mostra, que apresenta exemplos da arte popular brasileira, representada por alguns estados. Também são exibidas imagens que apresentam as possibilidades temáticas, procurando introduzir e motivar o visitante a compreender a exposição, que tem como eixo o patrimônio imaterial e identidade regional.

 

Biblioteca do Museu

A Biblioteca Maria Amália Giffoni, especializada em Folclore e Cultura Popular, oferece ao público um acervo documental bibliográfico, uma hemeroteca, além de registros sonoros e audiovisuais atualizados.

 

Vendinha do Museu

A Vendinha do Museu Vivo é onde o visitante pode adquirir objetos que testemunhem sua experiência de visita ao Museu. Ela tem como objetivo ser um espaço de divulgação e comercialização de produtos criados pelos fazedores do saber, que participam do projeto Museu Vivo.

 

Sala das Panelas

A partir de uma instalação cenográfica de uma cozinha regional, com fogão, utensílios e paredes de taipa criou-se o espaço expositivo Panelas do Vale.

A comida é cada vez mais valorizada como uma importante referência patrimonial: receitas, ingredientes, maneiras de fazer, até o costume de trocar receitas, tudo isto revela o Folclore, visto como experiência integrada à vida, à história, a sociedade de uma região.

 

Centro de Estudo da Cultura Popular - CECP

O Centro de Estudos da Cultura Popular - CECP é uma entidade cultural não-governamental, criada em 1998. Tem por finalidade o estudo, a pesquisa, a valorização e o estímulo de toda expressão da cultura popular. Seu objetivo é unir pessoas e entidades envolvidas na busca da cidadania.

 

Agenda FCCR

No mês passado Julho 2014 Próximo mês
S D
week 27 1 2 3 4 5 6
week 28 7 8 9 10 11 12 13
week 29 14 15 16 17 18 19 20
week 30 21 22 23 24 25 26 27
week 31 28 29 30 31

Links